Angola quer mais mulheres envolvidas em negociações de paz

28 março 2016

No Conselho de Segurança, ministra angolana disse que estas podem levar  muito mais do que questões de género para negociar.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Angola sugeriu pontos que considera essenciais para melhorar a participação das mulheres na prevenção e resolução de conflitos.

Para impulsionar o papel feminino, a ministra da Família e Promoção da Mulher, Filomena Delgado, citou o envolvimento direto do grupo em negociações de paz, em grupos de consulta e na tomada de decisões sobre políticas públicas.

África

O discurso foi feito no debate, no Conselho de Segurança, sobre o papel da mulher na prevenção e resolução de conflitos em África. Este mês, o órgão é presidido pelo país lusófono.

Para Filomena Delgado o papel feminino deve ser considerado em temas como diálogos nacionais, consolidação da paz e reformas que levam a processos de democratização.

Género

Nos acordos de paz, a ministra disse que deve ser garantida a inclusão de linguagem sensível ao género ao destacar que as mulheres podem trazer muito mais do que questões de género para a mesa de negociações.

De acordo com a governante, estas devem incutir a abordagem mais completa que um processo de paz precisa.

Consolidação da Paz

Sobre o caso de Angola, a representante disse que o período imediato ao conflito contou com o envolvimento direto das mulheres na consolidação da paz e na reconstrução.

Delgado destacou que o papel feminino foi essencial nas prestações de apoio psicológico para as vítimas do conflito armado como conselheiras de paz, reconciliação nacional e cura social.

Famílias

O país criou centros de aconselhamento para aumentar a consciência os seus direitos económicos, sociais, políticos e civis e como uma ferramenta para a participação das famílias no desenvolvimento.

Com parcerias com organizações da sociedade civil, Angola revelou que tem havido esforços para reforçar a participação feminina na vida política e económica do país.

Como exemplos de influencia feminina em negociações, Delgado citou casos de grupos na Libéria, no Quénia e no Burundi que culminaram com resultados significativos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud