Moçambique regista anualmente 61 mil novos casos de tuberculose

24 março 2016

Variante infantil está na escala de 10%; cerca de metade dos pacientes têm infeção pelo vírus do HIV; seis em cada 10 casos da doença ainda não são diagnosticados e notificados.

Ouri Pota , da Rádio ONU em Maputo.

Sob o lema “Unidos para Acabar com a Tuberculose” assinala-se esta quinta-feira, 24 de março, o Dia Mundial da Tuberculose.

A doença é considerada  problema de saúde global e é tida como a principal causa de morbilidade em milhões de pessoas a cada ano.

Número de Casos

A Rádio ONU em Maputo conversou com o responsável do Programa Nacional de Combate à Tuberculose no Ministério da Saúde de Moçambique. Ivan Manhiça citou desafios para o diagnóstico.

“Em 2015, nós notificamos 61 mil novos casos de tuberculose. Isto corresponde a 40% daquilo que é estimado pela Organização Mundial da Saúde em termos de número de casos para Moçambique. Isto significa que seis em cada 10 casos de tuberculose ainda não são diagnosticados e notificados. Significa também que muito trabalho ainda há por fazer na luta contra esta doença.”

Carga de HIV

A OMS estima que Moçambique tenha cerca de 150 mil novos casos anuais e 30 mil mortes por ano devido à tuberculose.

“Esta estimativa vem pelo facto de termos alta carga de HIV no país para o qual temos que prestar atenção. O número de mortes ainda é elevado de forma inaceitável, uma vez que há medicamentos e o tratamento é gratuito. Dentro dos nossos pacientes com tuberculose, cerca de 50% têm também infeção pelo vírus do HIV. Dos 61 mil casos, cerca de 6.700 casos correspondem à tuberculose infantil.”

Em Moçambique a data é assinalada sob o lema “Unidos para Acabar com a Tuberculose”.

As atividades agendadas incluem a apresentação da Declaração de Barcelona na Assembleia da República, debates, feira de saúde e visitas guiadas aos hospitais.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud