Especialista pede apoio ao novo governo da República Centro-Africana

16 março 2016

Em Bangui, relatora da ONU Marie-Thérèse Keita-Bocoum partilhou preocupações da sociedade civil, que busca maior proteção; novo presidente eleito Faustin Touadéra será empossado a 25 de março.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

A especialista independente das Nações Unidas sobre a situação de direitos humanos na República Centro-Africana pediu nesta quarta-feira à comunidade internacional que apoie o novo presidente eleito do país, Faustin Archange Touadéra.

Marie-Thérèse Keita-Bocoum também pediu apoio ao governo que  será formado pelo novo líder, enquanto ele toma medidas para atender as “altas expectativas da população”.

Serviços Urgentes

Estas incluem retorno à segurança, fortalecimento do Estado de direito, apoio à reconciliação nacional e fornecimento de serviços urgentes como educação e saúde.

Em Bangui, durante sua sexta visita ao país, a especialista partilhou algumas preocupações da sociedade civil, que busca maior proteção, assistência às vítimas de violência sexual e as que sofrem acusações de bruxaria.

Keita-Bocoum afirmou que todos os atores da sociedade civil com quem se encontrou “deploraram a ausência de um sistema de justiça criminal, a falta de acesso à justiça e falta de medidas para proteger vítimas e testemunhas”.

Desafios Humanitários

A perita também citou os desafios relacionados às necessidades humanitárias, que permanecem “altas”, com a ajuda internacional muitas vezes sendo a única forma de atender a população com serviços de saúde, nutrição e saneamento.

O país está a emergir após quase três anos de combates entre os grupos Séléka, de maioria muçulmana, e anti-Balaka, de maioria cristã.

Missão da ONU

A ONU tem desempenhado um grande papel na busca de restaurar a paz na República Centro-Africana e a especialista citou a Missão Integrada de Estabilização Multidimensional, Minusca.

Depois de nove meses de maior estabilidade no país, uma nova onda de violência intercomunitária eclodiu em setembro do ano passado, a matar pelo menos 130 pessoas, deixar 430 feridos e levar a um aumento de 18% no número de deslocado internos para 447,5 mil.

Novo Capítulo

A eleição do presidente Touadéra, que será empossado em 25 de março, está sendo vista como um “novo capítulo” na história política do país, apesar dos inúmeros desafios que permanecem.

Em seus comentários nesta quarta-feira, a especialista da ONU citou alguma melhora na segurança, especialmente na capital Bangui, mas expressou preocupação com a violencia no centro, leste e nordeste do país.

Além disso, Marie-Thérèse Keita-Bocoum destacou a “importância de que autoridades eleitas sejam homens e mulheres que tenham verdadeiramente disponibilidade de representar os interesses dos centro-africanos, com integridade e respeito aos direitos humanos”.

Leia Mais:

OIM combate violência de género na República Centro-Africana | Rádio das Nações Unidas

Relatório retrata violência e impunidade contra crianças centro-africanas | Rádio das Nações Unidas

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud