Ban Ki-moon nomeou 150 mulheres para cargos de alto nível na ONU
BR

14 março 2016

Secretário-geral está há nove anos no posto e afirma que quase 25% das missões de paz são chefiadas por mulheres atualmente; na abertura da Comissão sobre o Estatuto da Mulher, ele ressalta que igualdade de gênero sempre esteve entre suas prioridades.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU inaugurou esta segunda-feira a 60ª sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher, CSW. Ao discursar na Assembleia Geral, Ban Ki-moon ressaltou que garantir a igualdade de gênero sempre esteve entre suas prioridades, desde que assumiu o cargo, há nove anos.

Desde 2007, Ban nomeou mais de 150 mulheres para cargos de alto nível na ONU, como subsecretária-geral ou secretária-geral assistente.

Injustiças

Quando ele tomou posse, não havia mulheres como representantes especiais na organização no terreno. Mas atualmente, as mulheres chefiam quase 25% das Missões de Paz da ONU. Ban Ki-moon garante que esse compromisso irá continuar.

O secretário-geral afirmou que a luta não será encerrada enquanto houver pelo menos uma mulher que tenha seus direitos violados. Segundo Ban, o mundo está cheio de desigualdades e injustiças para mulheres e meninas, que não devem ser impecilho para garantir um mundo de igualdade.

Ações da ONU

Ele lembrou de quatro ações: a criação da agência ONU Mulheres, o movimento Toda Mulher, Toda Criança (que busca garantir que nenhuma mãe, bebê ou criança morra quando é possível salvá-los), a campanha UNiTE pelo Fim da Violência contra as Mulheres e o marco ElesporElas, que busca o apoio de homens e meninos para a causa.

Aos líderes presentes na abertura da CSW, Ban Ki-moon fez um apelo: ação, especialmente em países onde não existem mulheres no Parlamento. O secretário-geral da ONU disse que deixa o cargo em dezembro, mas nunca abandonará essa causa.

A 60ª Comissão sobre o Estatuto da Mulher segue até o dia 24 de março e a atual sessão está sendo presidida pelo Brasil.

Leia Mais:

Entrevista: embaixador Antonio Patriota

Brasil preside encontro na ONU sobre direitos das mulheres

Entrevista: luta de meninas moçambicanas pela igualdade de género 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud