Sudão: confrontos em Jebel Marra já desalojaram mais de 100 mil pessoas

10 março 2016

Darfur do Norte acolhe mais de 95% dos fugitivos; combates entre forças do governo e rebeldes decorrem desde janeiro; Ocha anunciou que no próximo semestre, 4 milhões de pessoas devem ficar sem ter o que comer.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O aumento da violência já levou mais de 102 mil pessoas a fugir da área sudanesa de Jebel Marra desde janeiro. Cerca de 95% dos desalojados buscam refúgio em Darfur do Norte e os restantes no centro e sul da região.

Segundo o Escritório da ONU de Assuntos Humanitários, Ocha, as pessoas deixam as suas casas devido aos combates iniciados em janeiro entre forças do governo e o Exército de Libertação do Povo do Sudão, Spla/Abdul Wahid.

Situação Pior

O Ocha estima que entre março e setembro mais de 4 milhões de pessoas vão enfrentar "crise de insegurança alimentar ou uma situação ainda pior" no Sudão.

As Nações Unidas calculam que 2,6 milhões foram deslocados durante os 13 anos de conflito na região sudanesa.

Cooperação

Há uma semana, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e a presidente da Comissão Africana, Nkosazana Ndlamini Zuma, apelaram às partes do conflito que cooperem totalmente com a missão conjunta em Darfur, Unamid.

A intenção é que seja facilitada a liberdade de movimento da operação de paz e das agências humanitárias durante as tentativas de proteger e ajudar à população civil afetada pelos combates.

O Ocha registou ainda a entrada no Sudão de mais de 173 mil sul-sudaneses desde o início do conflito no seu país em 2013. A falta de alimentos leva grande parte deles a seguir para as áreas de Darfur e de Kordofan do Norte .

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

Leia Mais:

Agravamento da violência em Darfur preocupa ONU e União Africana

Em África, presidente da Assembleia Geral da ONU aborda refugiados

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud