ONU pede que planos contra desastres incluam emergências de saúde

10 março 2016

Proposta é que projetos sejam incluídos na resposta a terremotos, inundações e tempestades; conferência na Tailândia junta G77, Escritório para a Redução do Risco de Desastres e Organização Mundial de Saúde.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Agências da ONU propuseram que países tenham como "prioridade máxima" a criação de capacidades de preparação e de resposta a desastres que incluam emergências de saúde a planos contra terramotos, inundações e tempestades.

O Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres, Unisdr,  e a Organização Mundial de Saúde, OMS, publicaram esta quinta-feira um apelo conjunto para agências nacionais que fazem a gestão de desastres.

Barreiras

Em Bangkok, na Tailândia, o chefe do escritório, Robert Glasser, disse que eventos como a epidemia de ébola na África Ocidental e o surto do vírus zika destacam a importância de "quebrar as barreiras na gestão de desastres".

Para o responsável, é "momento de adotar uma abordagem múltipla, que inclui os riscos provocados pelo homem, os naturais e os associados às áreas ambiental, tecnológica e biológica ".

Foco em Terramotos

Glasser  disse que é compreensível que a gestão de desastres tenha um forte foco em terramotos e eventos climáticos extremos, que afetam anualmente a mais de 100 milhões de pessoas.

Entretanto, o responsável disse que essa "máquina também deve estar pronta para ser acionada em emergências de saúde pública ativadas por vírus como o zika".

Quadro de Sendai

As declarações foram feitas a jornalistas antes da abertura da Conferência Internacional sobre a implementação de questões sanitárias do Quadro de Sendai para a Redução do Risco de Desastres entre 2015 e 2030.

O evento é organizado pela Tailândia,  na qualidade de presidente do Grupo dos 77. A coligação de países em desenvolvimento pretende promover interesses económicos comuns dos seus membros.

O Quadro de Sendai é o plano global para reduzir as perdas  e o risco de desastres adotado pelos Estados-membros da ONU em março de 2015.

Cuidados de Saúde

O diretor executivo da OMS para Surtos e Emergências de Saúde disse que o Quadro Sendai é um instrumento valioso para garantir melhores resultados de saúde em calamidades.

Bruce Aylward destacou a necessidade de sistemas de saúde resilientes e a integração da gestão de risco de desastres para oferecer cuidados de saúde em todos os níveis.

Para ele, a execução vai ajudar a quebrar barreiras entre os gestores de desastres e trabalhadores de saúde e a "mudar o foco da resposta aos desastres e na gestão da preparação, vigilância e gestão do risco de desastres no contexto da saúde. "

Leia Mais:

OMS: mais de 60 grupos trabalham em pesquisa para vacina contra zika

Desastres naturais afetaram 100 milhões de pessoas no mundo em 2015

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud