Fiji e Nações Unidas pedem US$ 38 milhões para alivar impactos de ciclone
BR

4 março 2016

Dinheiro é necessário para recompor “perdas catastróficas” e ajudar 350 mil pessoas afetadas pela tempestade Winston; processo de recuperação deve ser longo e primeiro-ministro faz apelo por assistência.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Após a passagem do ciclone Winston, as ilhas Fiji tiveram “perdas catastróficas”, segundo o governo e as Nações Unidas. Nesta sexta-feira, foi lançado um apelo financeiro de US$ 38,6 milhões, essencial para garantir ajuda a 350 mil pessoas.

O primeiro-ministro Josaia Voreqe pediu assistência da comunidade internacional e destacou que o processo de recuperação será longo. A prioridade é restaurar serviços de saúde, de educação, de infraestrutura e agrícolas.

Abrigos

Winston foi o ciclone tropical que mais causou estragos no Hemisfério Sul, atingindo as ilhas Fiji em 20 de fevereiro. Cerca de 40% da população foi afetada e 40 pessoas morreram. Mais de 54 mil civis continuam em abrigos temporários.

Ainda estão sendo coletados dados sobre os danos, mas pelas estimativas iniciais, quase 100% dos prédios foram destruídos em algumas ilhas. Centenas de escolas foram danificadas, assim como centros de saúde e produções agrícolas.

Solidariedade

As perdas somam US$ 56 milhões. Na ilha de Koro, 3 mil pessoas ficaram sem casa e 21% das cabeças de gado morreram.

A representante da ONU em Fiji declarou que vão levar anos até que haja uma recuperação completa. Segundo Nazhat Khan, o momento é propício para se prestar solidariedade à população das ilhas e para a comunidade internacional fornecer os recursos necessários.

As Nações Unidas estão liberando US$ 8 milhões de seu fundo de resposta a emergências, enquanto doadores internacionais forneceram US$ 9 milhões, além de apoio técnico.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud