Suazilândia precisa de US$ 80 milhões para ajudar afetados pelo El Niño

29 fevereiro 2016

Um terço da população suazi carece de ajuda imediata; safra de milho deste ano deve estar abaixo de um terço dos níveis estáveis; barragem que fornece água à capital Manzini tem reservas para poucas semanas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Pelo menos 300 mil pessoas têm extrema necessidade de assistência devido ao fenómeno El Niño na Suazilândia. O número equivale a um terço da população do reino africano, que precisa especialmente de alimentos e de água.

O Escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha, aponta para o aumento do risco de doenças transmitidas pela água. Subiram igualmente os casos de desnutrição causada pela falta do líquido e pelas precárias condições sanitárias.

Médio Prazo

Cerca de US$ 80 milhões serão necessários para financiar vários programas essenciais e atenuar o impacto da seca. De acordo com o Ocha, a ideia é cobrir as necessidades imediatas e a médio prazo.

O governo suazi declarou emergência nacional a 18 de fevereiro devido à seca provocada pelo fenómeno climático.

A produção de milho caiu um terço em 2015 e a previsão é que este ano a safra seja ainda menor.

Reservas de Água

A Barragem de Hawane, que fornece água à capital Mbabane, está a operar com 17% da sua capacidade e as reservas devem durar entre 20 dias a 8 semanas.

Nos estabelecimentos de ensino faltaram 189 mil alunos e 8,1 mil funcionários, na maioria professores.

Leia Mais:

OMM afirma que El Niño vai continuar influenciando clima global

Angola tem segundo maior custo para vítimas do El Niño em África