Guiné-Bissau cita ambições de assentar paz e estabilidade nos 50 anos do Pnud

24 fevereiro 2016

Cooperação envolve setores como governação, economia, trabalho e ambiente; agência da ONU apoia programas de reforma institucional no país; estratégia de desenvolvimento guineense deve cobrir a próxima década.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Guiné-Bissau pretende encontrar saídas sustentáveis para a governação e a resolução de conflitos com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud.

As declarações à Rádio ONU foram feitas esta quarta-feira pelo ministro guineense da Economia e Finanças. Em Nova Iorque, Geraldo João Martins participou na celebração dos 50 anos da agência que coordena o sistema das Nações Unidas em vários países-membros.

Desenvolvimento

"O Pnud foi uma organização importante na coordenação da mobilização de apoio nas últimas eleições gerais na Guiné-Bissau em 2014. Deu um contributo importante na preparação dessas eleições. Além disso, o Pnud foi um parceiro importante na preparação e realização da Mesa Redonda de Bruxelas em março de 2015, e continua a apoiar o governo da Guiné-Bissau na concretização dos apoios conseguidos em Bruxelas há um ano."

Na capital belga, o país conseguiu promessas de mais de  € 1 mil milhão dos doadores, um valor equivalente a mais do dobro do montante solicitado para o desenvolvimento do país.

O objetivo é financiar o Plano Estratégico e Operacional para o avanço guineense até 2025, denominado Terra Ranka.

Progresso

Perante o atual impasse político,  as Nações Unidas declararam que a situação pode atrasar a implementação de reformas cruciais e limitar o progresso da Guiné-Bissau. Mas o ministro guineense disse que o apoio ao desenvolvimento continua.

"O exemplo é o Fundo de Consolidação da Paz, que foi recentemente atribuído à Guiné-Bissau pelas Nações Unidas no valor de US$ 10 milhões e que vai apoiar diferentes áreas a começar pelas forças de defesa e segurança, da Justiça e etc. O Pnud é precisamente um dos parceiros que faz parte do grupo que também gere este fundo, conforme nós trabalhamos para gerenciar esses projetos de modo que a Guiné-Bissau possa criar as condições para uma paz duradoura e para uma estabilidade política que todos nós almejamos."

Para o país marcado por crises recorrentes, o representante guineense destacou o apoio da agência em vários programas.

As principais iniciativas estão ligadas a áreas como governação, economia, criação de emprego, preservação ambiental e combate à desertificação.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud