Acnur destaca reunificação familiar em viagens de refugiados
BR

24 fevereiro 2016

Agência da ONU está realizando um estudo para aprender mais sobre os refugiados, de onde vêm, porque estão fugindo e que tipo de proteção precisam; objetivo é apoiar essas pessoas, especialmente as que têm necessidades específicas, como crianças desacompanhadas e famílias chefiadas por mulheres.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Uma pesquisa feita pelo Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, descobriu que 94% dos sírios que chegaram à Grécia em janeiro deste ano fizeram a perigosa jornada pelo mar para escapar do conflito no país.

De forma semelhante, a violência foi a razão citada por 71% dos afegãos entrevistados como motivo para terem deixado seu país no mesmo período.

Pesquisa

Além disso, 41% dos sírios afirmaram que a reunificação famíliar foi a razão da escolha de seu país de destino. Para o Acnur, junto com o fato de que 20% das famílias viajando são lideradas por mulheres, isto reforça a “necessidade desesperada” de procedimentos mais fortes para a reunificação familiar.

Segundo a agência, os resultados desta pesquisa são parte de um estudo para aprender mais sobre quem são estes refugiados, de onde vêm, porque estão fugindo e que tipo de proteção precisam.

O objetivo é ajudar as autoridades gregas, o Acnur e outros parceiros a apoiarem essas pessoas, especialmente as que têm necessidades específicas, como crianças desacompanhadas ou separadas de seus responsáveis e famílias chefiadas por mulheres.

A agência da ONU conduziu a pesquisa entre 15 e 31 de janeiro deste ano, entrevistando mais de 400 refugiados e solicitantes de asilo sírios e afegãos que chegaram às ilhas gregas de Chios, Leros, Lesbos e Samos.

Esta prática será repetida nos próximos seis meses, fornecendo a maior e mais abrangente compilação de dados disponíveis sobre a emergência de refugiados na Europa.

Famílias

Segundo a pesquisa, 85% dos sírios entrevistados estavam deslocados dentro do país antes de sua viagem à Grécia e 87% estavam viajando com seus familiares.

Cerca de 79% dos sírios e 44% dos afegãos que participaram do estudo disseram que tinham diploma universitário ou que terminaram o ensino médio.

Mulheres e crianças representam 51% dos síros e 40% dos afegãos entrevistados.

Leia Mais:

ONU: medidas restritivas da Europa criam mais dificuldades para refugiados

ONU pede ações para combater crescente número de crianças mortas no mar | Rádio das Nações Unidas

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud