De asma a zika, ONU combate ligações entre ambiente e saúde
BR

19 fevereiro 2016

Segundo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, lista de problemas de saúde que podem ser ligados à poluição e degradação ambiental é longa; agência cita câncer de pele e pulmão, asma, envenenamento por chumbo e mercúrio, malária, ebola e zika.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, a lista de problemas de saúde que podem ser ligados à poluição e degradação ambiental é longa e crescente.

A agência cita o câncer de pele e do pulmão, asma, envenenamento por chumbo e mercúrio, malária, ebola e zika.

Ebola e Zika

Para o chefe do Pnuma, Achim Steiner, a propagação do zika, assim como do ebola, “enviou um forte sinal à comunidade internacional de que é preciso aumentar a atenção às ligações entre meio ambiente e saúde”.

Steiner disse ainda que “há uma crescente conscientização de que os humanos, através de sua intervenção no meio ambiente, têm um papel fundamental em exacerbar ou mitigar os riscos à saúde”.

Assembleia Ambiental

Ele fez as declarações a uma comissão de representantes da agência reunidos na sede do Pnuma, em Nairobi, em preparação para a Assembleia do Meio Ambiente das Nações Unidas, que será no fim de maio.

Em seu discurso, Steiner citou dados da Organização Mundial da Saúde, OMS, de que 23% de todas as mortes prematuras no mundo podem ser atribuídas a fatores ambientais. Entre crianças, este número sobre para 36%.

Ele disse ainda que todos os anos, cerca de 7 milhões de pessoas morrem por exposição à poluição de diversas fontes.

Ação Internacional

O chefe do Pnuma também mencionou que mais de 2 bilhões de pessoas vivem em áreas com escassez de água, mil crianças morrem por dia por doenças transmitidas pela água e, todos os anos, desastres naturais tiram as vidas de 42 milhões de pessoas.

Segundo Steineir, “há uma forte evidência de que ação internacional para proteger o meio ambiente pode ter grandes impactos positivos na saúde humana”.

Protocolo de Montreal

Graças ao Protocolo de Montreal, que entrou em vigor em 1989, cerca de 100 substâncias prejudiciais à camada de ozônio foram tiradas de circulação.

Por causa deste progresso, cerca de 2 milhões de casos de câncer de pele serão evitados antes de 2030. Além disso, a remoção de chumbo de combustível já está evitando mais de 1 milhão de mortes prematuras a cada ano.

Desenvolvimento Sustentável

Um relatório sobre os impactos ambientais na saúde humana será lançado na Assembleia do Meio Ambiente da ONU.

O documento será tema de discussão entre ministros sobre a implementação do aspecto ambiental da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável.

O Pnuma ressalta que um ambiente saudável não só apresenta oportunidades para uma sociedade saudável, mas traz também benefícios econômicos.

Leia Mais: 

Pnuma pede medidas urgentes para salvar tubarões da extinção

No Quénia, ministros se preparam para Assembleia do Meio Ambiente da ONU

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud