Chefe da ONU reage a ataque contra bases da organização no Sudão do Sul
BR

18 fevereiro 2016

Nota divulgada pelo porta-voz de Ban Ki-moon atualiza o número de mortes para sete, enquanto aproximadamente 40 pessoas foram feridas; secretário-geral lembra que este tipo de ação pode ser considerada crime de guerra.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

O secretário-geral das Nações Unidas condena a violência iniciada na noite de quarta-feira e que continuou ao longo do dia na base de proteção aos civis da Missão da ONU no Sudão do Sul, Unmiss.

A ação ocorreu em Malakal e pelo menos sete deslocados internos morreram, enquanto cerca de 40 pessoas ficaram feridas. Ban Ki-moon está preocupado com o aumento das tensões entre as comunidades Dinka e os Shilluk, o que gerou o incidente.

Crime

Na nota divulgada por seu porta-voz, o chefe da ONU alerta a todos os lados sobre a importância de se combater disputas étnicas e pede para que evitem qualquer ação ou comentário que possa piorar a situação.

O secretário-geral lembra ao governo do Sudão do Sul e às forças de segurança sobre a inviolabilidade das bases das Nações Unidas. Segundo Ban, qualquer ataque direto contra civis, instalações da ONU ou contra soldados de paz, pode ser considerado um crime de guerra.

Aos líderes sul-sudaneses é feito um pedido, para que implementem, sem atrasos, o acordo de paz alcançado há seis meses. Ban Ki-moon acredita que só assim o povo do país poderá dar início a um processo de reconciliação e de cura.

Leia Mais:

Civis mortos em ataque a complexo da ONU no Sudão do Sul

Conflitos e violência tiveram "grande impacto" nas crianças em 2015

Um quarto da população sul-sudanesa precisa urgentemente de comida

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud