Entrevista: Chissano presta tributo à "alma africana" de Boutros-Ghali

16 fevereiro 2016

O antigo presidente de Moçambique reagiu à morte do ex-secretário-geral da ONU Boutros Boutros-Ghali, afirmando que com toda a neutralidade necessária este "não deixou de ter a sua alma africana" enquanto ocupava o cargo.

Foi em 1992 que o ex-chefe da ONU assumiu o compromisso de envio de soldados da paz para Moçambique, país onde no mesmo ano terminava uma guerra civil de 16 anos.

Joaquim Chissano disse à Rádio ONU, de Maputo, que ambos foram membros do fórum que junta antigos chefes de Estado de África  para ajudar a resolver conflitos.

Acompanhe a entrevista a Eleutério Guevane.

Duração: 05’11”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud