Nas ondas de rádio à beira de eleições na República Centro-Africana

12 fevereiro 2016

ONU garante cobertura nacional onde o conflito e dificuldades limitaram a comunicação; 1,8 milhão de centro-africanos elegem o presidente e deputados no dia 14 de fevereiro.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Em momento eleitoral, a República Centro-Africana tem duas rádios que cobrem todo o território nacional. As Nações Unidas fundaram uma estação e garantem o funcionamento da segunda através da sua operação de paz no país.

O chefe de Comunicação e porta-voz da Missão da ONU na República Centro-Africana, Minusca, fala do papel das emissoras para os centro-africanos. Vladimir Monteiro destacou o cenário de uma nação marcada por meses de violência.

Grandes Documentos

"É um papel extremamente importante. Uma das causas de crise em África são as eleições. Este país está no meio de um processo eleitoral que começou em novembro com o referendo sobre a Constituição e houve as eleições a 30 (de dezembro). A Rádio das Nações Unidas na República na República Centro-Africana, Guira FM, tem um papel de sensibilização, de informação e de popularização de todos os grandes documentos das autoridades das eleições e também das Nações Unidas por uma razão muito simples: a guerra e a falta de meios destruíram completamente os equipamentos de comunicação."

No domingo, a segunda volta das eleições presidenciais decorre ao mesmo tempo que a repetição das legislativas. A votação da corrida para o Parlamento realizou-se a 30 de dezembro, mas foi anulada devido a irregularidades.

Informar, Sensibilizar e Educar

Monteiro disse que no geral as emissoras de rádio e as redes sociais garantem os debates onde são expostas ideias. Mas a estação gerida pela ONU passa mensagens importantes sobre a organização do processo.

"Há poucas rádios. A Rádio Nacional emite sobretudo na capital e à volta de Bangui, mas Guira FM e também uma outra rádio, a Ndeke Luka, que também nasceu graças às Nações Unidas podem assim informar, sensibilizar e educar às populações."

Centros de Votação

Com o aproximar do pleito, a Minusca declarou que a situação de segurança mantém-se de forma geral calma. Cerca de 1,8 milhão de pessoas devem eleger o presidente e os membros do Parlamento.

A operação de paz transporta o material eleitoral distribuído em centros de votação de todo o país e para refugiados centro-africanos nos vizinhos Camarões e Chade.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud