ONU pede apoio para 50 mil malianos por recear desastre humanitário

12 fevereiro 2016

Alerta foi lançado por agências da organização na Mauritânia; crianças compõem 72% dos carenciados  em acampamento que acolhe refugiados do Mali em território mauritano.

Amatijane Candé, da Rádio ONU em Bissau.

Mais de 50 mil refugiados malianos estão na iminência de um desastre humanitário no Acampamento de Mberra na Mauritânia. O local está a 50 quilómetros da fronteira entre os dois países.

Pelo menos 36,3 mil dos carenciados são crianças, segundo o representante do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados na nação da África Ocidental.

Melhorias

Mohamed Alwash considera crucial o financiamento dos doadores para sustentar progressos, tendo garantido que a situação humanitária na área melhorou de forma consistente desde 2012.

Os avanços resultaram de esforços conjuntos de agências da ONU, do governo da Mauritânia e de parceiros.

Urgência

Para manter a linha de abastecimento ao acampamento, o Acnur, o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, e o Programa Mundial de Alimentação, PMA, alertam os doadores sobre a urgência de apoio aos malianos.

Desde 2012, as agencias, o governo de Nouakchott e organizações não-governamentais oferecem assistência às pessoas que fugiram do norte do Mali, onde a situação continua volátil. Não há previsões de regressos voluntários dos malianos para 2016.

Salva Vida

Os refugiados de Mberra perderam quase tudo e para a maioria deles, a assistência alimentar e nutricional do PMA é considerada “tábua de salvação”.

O diretor da agência na Mauritânia disse que a rutura na assistência em 2015 teve impacto na saúde dos malianos que procuram abrigo no país.

Para Janne Suvanto, o fato provocou um aumento de crianças e mulheres malnutridas.

A agência fornece comida aos refugiados, suplementos nutricionais reforçados às crianças menores de cinco anos, mulheres grávidas e que amamentam e uma refeição quente aos alunos em escolas. A assistência ronda os US$ 5,3 milhões.

Serviços Básicos

O Acnur garante proteção, acesso à educação primária, saúde, abrigo e água aos refugiados.

A agência também promove a resiliência, através de alfabetização dos adultos, atividades para gerar rendimentos e formações. A ideia é reduzir a dependência dos malianos em relação aos apoios externos.

Doadores

O Unicef intervém no reforço de acesso aos serviços sociais de boa qualidade em termos de nutrição, saúde e educação. O representante da agência na Mauritânia disse que as intervenções devem-se ao apoio dos doadores e ao esforço conjunto de parceiros.

Para Souleymane Diabaté sem um financiamento urgente, estimado em US$ 3 milhões, crianças e suas famílias perderiam o apoio vital.

Leia Mais:

Entrevista: O papel da Rádio Mikado para o Mali

Crime e terrorismo na mira de ações do Unodc na África Ocidental

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud