Mais de 400 pessoas morreram nas rotas do Mediterrâneo em 2016

9 fevereiro 2016

Dados da OIM indicam que 76% das mortes ocorreram na rota que liga a Turquia e a Grécia; as restantes foram registadas na via entre o norte de África e a Itália; média de chegadas diárias à Europa é 10 vezez superior a de um ano atrás.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Internacional para Migrações, OIM, anunciou esta terça-feira que registou 409 mortes nas rotas do Mediterrâneo até 8 de fevereiro.

A agência parceira da ONU estima que mais de 76 mil migrantes e refugiados chegaram à Europa pelo mar nas primeiras seis semanas de 2016.

Média Diária

Todos os dias, cerca de 2 mil pessoas chegam ao continente europeu, uma média 10 vezes maior que há um ano.

De acordo com a  OIM, 319 pessoas perderam a vida ou desapareceram na rota do Mediterrâneo Oriental que liga Turquia e Grécia. Outros 90 casos ocorreram na rota do Mediterrâneo Central, entre o norte de África e a Itália.

As mais recentes vítimas foram nove pessoas registadas no domingo após um incidente no mar Egeu.

Mediterrâneo Central

No mesmo período do ano passado, 69 migrantes e refugiados morreram ou desapareceram em todo o Mediterrâneo. Nove teriam perdido a vida na rota do Mediterrâneo Central.

Em março, o número de migrantes que chegam à Grécia deve atingir o primeiro milhão desde o início de registos em janeiro de 2015. Neste momento o total é 924.015 que inclui os mais de 70,3 mil registados desde o princípio deste ano.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

Leia Mais:

"2016 deve ser o ano da migração e do multilateralismo"

Mortes no Mar Mediterrâneo atingem 374 neste ano

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud