Entrevista: Guiné-Bissau e mutilação genital feminina

5 fevereiro 2016

Assinala-se este 6 de fevereiro o Dia Internacional de Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina. A presidente do Parlamento Infantil da Guiné-Bissau falou de "consequências terríveis" do procedimento no país.

Em declarações à Rádio ONU, em Nova Iorque, Nela Mantija enfatizou que “é importante mudar  mentalidades". Durante a semana, a líder do órgão participou no Fórum da Juventude.

Na Guiné-Bissau, o grupo de 102 deputados menores e adolescentes faz campanhas de sensibilização contra a mutilação genital feminina  em aldeias, também conhecidas por tabancas.

A conversa inclui histórias sobre o conflito de gerações e vítimas do procedimento, que coloca o país entre as 30 nações onde há mais registos da prática.

Acompanhe a entrevista com Eleutério Guevane.

Duração: 04'55"

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud