Fundo apoiado pela ONU doa US$ 9 milhões para centro-africanos

1 fevereiro 2016

Montante deve financiar ações para pessoas vulneráveis; cerca de 2,3 mil cidadãos do país precisam de auxílio humanitário; fundos serão aplicados em setores como água, saneamento e gestão de acampamentos de deslocados.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A República Centro-Africana recebeu US$ 9 milhões para o apoio essencial aos deslocados pela violência bem como repatriados, refugiados e comunidades anfitriãs vulneráveis.

O valor foi atribuído esta segunda-feira pelo Fundo Humanitário Comum, gerido pelas Nações Unidas no país, que tem cerca de 2,3 mil pessoas que carecem de assistência.

Violência nas Comunidades

O montante deve financiar projetos para responder às necessidades humanitárias críticas e urgentes. Outras metas incluem melhorar o acesso das populações afetadas a serviços básicos e contribuir para reduzir a violência nas comunidades.

A prioridade será dada a iniciativas que incluem transferir conhecimento para ONGs nacionais, que devem executar ações nas áreas de género e de proteção.

O coordenador humanitário da ONU na República Centro-Africana disse que através do montante deve ser dada assistência para salvar as vidas de pessoas afetadas pela crise humanitária.

Organizações

Aurélien Agbénonci contou que os fundos vão ajudar várias agências humanitárias a oferecer água potável e saneamento, além de apoiar a gestão de acampamentos de deslocados e áreas como educação, saúde e subsistência.

Até janeiro passado, o fundo recebeu US$ 2,9 milhões da Bélgica e da Suécia. Criada há quase oito anos, a iniciativa conjunta é gerida pelo Escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha.

No ano passado, além do financiamento dos dois governos, países como Dinamarca, Irlanda, Luxemburgo, Holanda, Noruega e Reino Unido contribuíram com  um total de US$ 24,9 milhões.

Assistência Essencial

Agbénonci considerou importante que a comunidade internacional seja capaz de responder rapidamente às necessidades humanitárias mais urgentes na República Centro-Africana.

O representante ressaltou a importância de aliviar o sofrimento e dar assistência essencial a milhares de deslocados e famílias de acolhimento com necessidades graves.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud