OMS prevê produção de 6 milhões de doses de vacina oral contra a cólera

8 janeiro 2016

Agência espera duplicar oferta atual com aprovação de um novo fabricante; Sudão e Haiti não tiveram fornecimento de vacinas para campanhas preventivas em 2015.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou esta sexta-feira que a oferta global da vacina oral contra a cólera deve duplicar, após ter sido aprovado um terceiro produtor.

A agência disse acreditar que  a  medida ajude a enfrentar a escassez global  do produto e a expandir o acesso para mais países. A nota, emitida em Genebra,  destaca que atualmente a procura ultrapassa a oferta.

Oferta Global

Com a vacina pré-qualificada a oferta global deverá aumentar para 6 milhões de doses em 2016, com um potencial de subida da produção no futuro.

Em 2015, o Sudão e o Haiti pediram que lhes fossem fornecidas vacinas orais para a cólera, com a sigla OCV. A OMS não pôde atender os pedidos devido à falta  do produto a nível global.

Uma empresa sul-coreana é a mais recente produtora da OCV,  que deve ser  aprovada no âmbito do programa de pré-qualificação da agência.

Segurança

A iniciativa garante que medicamentos e vacinas compradas por países e agências internacionais, como o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, cumpram padrões aceitáveis de qualidade, segurança e eficácia.

A OMS destaca um potencial de aumento da produção no futuro que vai contribuir para inverter um ciclo vicioso de baixa demanda e de produção, do preço alto da distribuição desigual  para "um ciclo virtuoso de aumento da demanda, aumento da produção, preço reduzido e maior igualdade de acesso".

Comunidades

A OCV é usada desde 1997 em campanhas massivas durante emergências humanitárias. A fraca procura do remédio é atribuída ao fato de a doença afetar de forma  desproporcional a comunidades pobres que não sabem da sua existência.

Em 2013, a OMS criou a primeira reserva mundial da OCV e comprometeu-se a comprar e usar 2 milhões de doses anuais para estabilizar e criar demanda para as vacinas.

Stock

De acordo com a agência, a vacinação é composta por duas doses por pessoa sendo o stock  suficiente para cobrir 1 milhão de pessoas.

O acesso à  OCV foi melhorado após um compromisso da  Aliança Gavi que prevê US$ 115 milhões para cinco anos para alargar a disponibilidade e o uso da vacina em países onde a cólera endêmica.

A OMS destaca que  21 envios da vacina foram feitos com cerca de 4 milhões de doses para 11 países em crises humanitárias. As nações beneficiárias foram Camarões, Haiti, Iraque, Nepal, Sudão e Tanzânia.

Os produtos serviram igualmente em áreas de surtos na Guiné Conacri e no Malaui e focos de crise como Bangladesh e República Democrática do Congo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud