ONU saúda perdão a 3 mil presos na violência pós-eleitoral na Côte d'Ivoire

4 janeiro 2016

Indulto presidencial foi anunciado nas celebrações do Ano Novo; representante do secretário-geral incentiva os atores políticos marfinenses a trabalhar em prol da coesão social e da reconciliação no país.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A representante especial do secretário-geral da ONU para a Côte d'Ivoire,  Aichatou Mindaoudou, saudou o indulto presidencial dado a mais de 3 mil pessoas presas na sequência da crise pós-eleitoral de 2010 e 2011.

A também chefe da Missão das Nações Unidas no país, conhecido como Costa do Marfim, encorajou a todos os atores políticos "a trabalhar incansavelmente para reforçar a coesão social e a reconciliação nacional".

Redução de Penas

O presidente Alassane Ouattara não revelou os detalhes sobre o número de prisioneiros a serem libertados imediatamente ou que teriam a redução de uma parte da pena durante o anúncio feito no âmbito do Ano Novo.

As autoridades do país estimam que 3 mil pessoas morreram durante os cinco meses de violência após Ouattara ter vencido a corrida presidencial.

Tropas Internacionais

Os confrontos seguiram-se à recusa do então líder Laurent Gbagbo em deixar o poder e levaram ao envio de tropas internacionais ao país.

O Tribunal Penal Internacional marcou para 28 de janeiro, em Haia, o julgamento do antigo chefe de Estado marfinense que nega acusações de crimes contra a humanidade.

A Onuci revela que juntamente ao Sistema das Nações Unidas vai continuar a apoiar os marfinenses e as suas autoridades nos esforços para consolidar a paz e a reconciliação nacional.

Leia Mais:

Recomeça o repatriamento de marfinenses refugiados na Libéria

Para Ban, sucesso de eleições confirma retorno da paz na Cote d'Ivoire 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud