Aiea lança guia para melhorar processo de radiação de alimentos
BR

30 dezembro 2015

Agência da ONU diz que documento tem como foco os países em desenvolvimento; material vai ser utilizado por instalações que realizam radiações, agências reguladoras de alimentos, fabricantes entre outros.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, lançou um guia para ajudar no processo de radiação de alimentos.

O documento, que foi preparado em parceria com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, tem como foco ajudar os países em desenvolvimento.

Práticas

O objetivo da Aiea é melhorar as práticas de radiação realizadas em instalações apropriadas, como também por agências reguladoras, fabricantes e comerciantes de alimentos.

Ainda na lista estão órgãos de certificação e organizações de governo.

A agência da ONU mencionou as recentes mudanças no processo industrial de radiação, incluindo procedimentos para garantir qualidade, os padrões internacionais e os novos códigos.

Segundo a Aiea, as companhias que realizam esse tipo de prática precisam implementar novas estratégias de conformidade.

Solução

A agência atômica explica que a radiação de alimentos é uma solução eficaz e econômica de se lidar com vários problemas relacionados à comida, como por exemplo, qualidade e segurança, sem afetar a estrutura física ou nutritiva do produto.

O especialista da Aiea/FAO sobre o assunto, Yves Hénon, calcula que aproximadamente 750 milhões de toneladas de alimentos passem pelo processo de radiação todos os anos. A maioria na região Ásia-Pacífico e nas Américas.

A qualidade e a segurança dos alimentos se tornaram questões muito importantes nos países em desenvolvimento nos últimos anos, especialmente na China, onde estão localizadas a maior parte das companhias que fazem a radiação.