RD Congo: ONU quer ação contra autores da morte de soldado de paz

30 novembro 2015

Ataque contra a base da Monusco no Kivu Norte matou um militar malauiano e feriu um outro no domingo; vários civis e forças congolesas perderam a vida em confrontos separados.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Um soldado de paz da Missão da ONU na República Democrática do Congo, Monusco, morreu este domingo num ataque contra a base da operação de paz na área de Makembi na província do Kivu Norte. A vítima era de nacionalidade malauiana.

Falando a jornalistas, em Nova Iorque, o porta-voz do secretário-geral disse que um outro militar da força de paz foi ferido durante uma grande troca de tiros.

Rebeldes

Stephane Dujarric disse que foram mortos quatro soldados do exército congolês e vários civis em duas ações separadas levadas a cabo na área por rebeldes das Forças Democráticas Aliadas, ADF.

Na nota, o secretário-geral pede ação rápida para levar os responsáveis dos ataques à justiça. O chefe da ONU expressa condolências às famílias da vítima,  ao governo e ao povo do Malaui além de desejar a rápida recuperação dos feridos.

Ban Ki-moon destaca a sua "extrema preocupação" com a série dos ataques das ADF na província congolesa, que registou mais de 500 mortos civis deste outubro de 2014.

Violação

O secretário-geral considera tais atos contra civis "uma clara violação dos direitos humanos e do direito internacional humanitário".

Ban reiterou o compromisso da organização de apoiar as autoridades congolesas nos seus esforços para neutralizar os grupos armados e para pôr fim à impunidade, como prevê o mandato da  Monusco.

Leia Mais:

"Polícia da ONU tem papel crucial no sucesso das Missões de Paz"

Chefe da Monusco destaca eleições na República Democrática do Congo