Conselho de Segurança quer governo de unidade na Líbia
BR

8 novembro 2015

Órgão está preocupado com a crise política e de segurança do país e o aumento do terrorismo; Conselho faz apelo a todos os partidos líbios para que assinem o acordo político proposto pela ONU.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança está preocupado com “a crise política e a segurança da Líbia” e divulgou um comunicado no sábado dirigido aos partidos e líderes do país.

O órgão pede que assinem o acordo político proposto pela ONU e para que formem o Governo de Acordo Nacional. Os países-membros do Conselho acreditam que o acordo político, finalizado em outubro, oferece chances de resolver a situação.

Governo

O Conselho pede aos líderes líbios para que trabalhem pela formação de um governo de unidade, que beneficie todos os cidadãos do país. A nota diz que esse processo deve ouvir e integrar líbios de todas as comunidades.

O comunicado menciona atividades que “podem danificar a integridade e a unidade das instituições financeiras da Líbia e da Companhia Nacional de Petróleo”. O Conselho destaca a importância dessas instituições continuarem funcionando em benefício dos líbios.

Isil

O Conselho de Segurança pede ainda o fim imediato da violência e cita os confrontos, a destruição e as perdas humanitárias em várias partes do país.

O órgão condena a continuação dos ataques e da repressão causados pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil, pela Ansar Al Charia e outros grupos ligados à Al-Qaeda.

O conflito na Líbia começou com a revolução de 2011 e a situação piorou nos últimos meses devido à fragmentação política e à violência. O Conselho de Segurança também reafirma o forte compromisso com a soberania, a independência e a integridade territorial do país.