Relatora fala sobre relação entre mudança climática e segurança alimentar
BR

3 novembro 2015

Hilal Elver acredita que um adicional de 600 milhões de pessoas poderão ficar subnutridas até 2080; especialista da ONU destaca intensidade do clima extremo, aumento das temperaturas e do nível do mar.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A relatora especial das Nações Unidas sobre o Direito à Alimentação declarou esta terça-feira que a “mudança climática impõe sérias e diferentes ameaças à segurança alimentar”.

Pelos cálculos de Hilal Elver, essa situação pode fazer com que um adicional de 600 milhões de pessoas fiquem subnutridas até 2080. A especialista explica que a frequência e a intensidade do clima extremo, o aumento da temperatura e do nível do mar, enchentes e secas têm um grande impacto no direito à alimentação.

Gado e Pesca

Segundo Elver, esses fenômenos climáticos afetam de forma negativa as plantações, o gado, a pesca e o meio de subsistência de muitas pessoas. A relatora acredita que a produção de comida em larga escala não é a melhor resposta para a demanda alimentar mundial.

Para a especialista, é preciso substituir a agricultura industrial por modelos transformadores, como a “agro-ecologia que apoie produção local de comida, proteja os pequenos agricultores, respeite os direitos humanos e as tradições culturais”.

Políticas Públicas

A relatora da ONU também defende a necessidade de se manter a sustentabilidade ambiental e facilitar o acesso a uma dieta saudável. Na avaliação dela, os que menos contribuíram para o aquecimento global são os que mais sofrem com os efeitos.

Hilal Elver diz que para responder aos desafios da mudança climática, é necessária ação urgente, com políticas que respeitem o direito à comida e outros direitos fundamentais.

COP 21

As recomendações da relatora são feitas em antecipação à Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, COP 21, que ocorre em Paris entre 30 de novembro e 11 de dezembro.

A meta da reunião é conseguir com que os países assinem um acordo universal para reduzir as emissões de gases que causam o efeito estufa. Para a relatora Hilal Elver, esse acordo precisa incluir um “compromisso claro com justiça climática e segurança alimentar para todos”.

Leia Mais:

Venda de cabeça de gado a US$ 7,5 retrata seriedade da seca na Etiópia

Design urbano pode ajudar a combater mudança climática, avalia Ban

ONU: promessas para cortar emissões de carbono não atingem meta

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud