ONU: promessas para cortar emissões de carbono não atingem meta
BR

30 outubro 2015

Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climática afirmou que planos de 146 países para limitar os efeitos da mudança climática não vão conseguir manter o aumento da temperatura global abaixo dos 2º C; cálculos apontam para uma alta de 2,7º C até 2.100.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Um novo relatório da ONU afirma que os planos de 146 países para reduzir as emissões de carbono não serão suficientes para manter o aumento da temperatura média global abaixo dos 2º C.

Segundo o documento divulgado esta sexta-feira pela Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climática, Unfccc, a alta da temperatura mundial deve chegar a 2,7º C até o ano 2.100.

Impactos

Cientistas do mundo inteiro chegaram a um consenso de que o aumento da temperatura acima de dois graus centígrados terá impactos climáticos significativos e perigosos, principalmente nas populações mais pobres.

A secretária-executiva da Comissão Quadro sobre Mudança Climática, Christiana Figueres, afirmou que a previsão de uma alta de 2,7º C não é suficiente, mas é muito menor do que as projeções de 4 ou 5 ou mais graus feitas antes das promessas de cortes dos países.

Os 146 planos, também chamados de Contribuições Voluntárias Nacionais, Indcs,  para a redução das emissões de dióxido de carbono e outros gases poluentes incluem todos os países desenvolvidos e três-quartos dos em desenvolvimento. Eles pertencem à Convenção Quadro da ONU sobre Mudança Climática.

Emissões Globais

Esses países são responsáveis por 86% das emissões globais dos gases que causam o efeito estufa, nível quase quatro vezes maior do que o registrado na assinatura do Protocolo de Kyoto, que foi o primeiro tratado internacional para a redução das emissões nas economias industrializadas.

De acordo com as previsões dos impactos climáticos, os países estão determinados a aumentar os esforços de adaptação com fundos suficientes, capacidades técnicas e tecnologia.

Para implementar essas mudanças, calcula-se que as nações vão precisar entre US$ 100 milhões e US$ 200 bilhões.

Possível

O relatório diz ainda que é possível que os países atinjam a meta de 2º C se os esforços forem ampliados.

Segundo o documento, apesar das emissões globais continuarem altas, se comparadas aos níveis de 1990, 2000 e 2010, a ONU diz que as emissões de gases “per capita” devem diminuir 8% até 2025 e 9% até 2030.

Figueres afirmou que “os planos agora determinam um caminho específico, reconhecendo claramente que o sucesso das ações climáticas vão alcançar não somente baixas emissões de gases mas também um grande número de benefícios econômicos e sociais”.

O novo acordo sobre o clima será firmado na conferência chamada COP 21, em Paris, em dezembro.

Leia Mais:

Ban saúda eleição do chefe do painel climático apoiado pela ONU

Ban saúda envio de planos de ação climática por 147 países antes de Paris

Chefe da ONU apresenta pontos de consenso de líderes antes da COP21

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud