“Iêmen está em chamas”, diz enviado da ONU ao Conselho de Segurança
BR

23 outubro 2015

Ismail Ould Cheikh Ahmed destacou que as negociações de paz são a única forma de restaurar a esperança da população do país.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York

O enviado especial da ONU para o Iêmen, Ismail Cheikh Ahmed, afirmou nesta sexta-feira ao Conselho de Segurança que o “país está em chamas e sua população em uma situação catastrófica”.

Ele disse ainda que o “país está sangrando, suas cidades em colapso e seus cidadãos privados dos direitos mais básicos”.

Solução Política

O enviado especial destacou que as negociações de paz são a única forma de restaurar a esperança da população do Iêmen.

Segundo Ahmed, o último relatório do Escritório da ONU para Coordenação de Assistência Humanitária, Ocha, indica que a maioria dos iemenitas precisam de assistência humanitária.

Assistência Humanitária

Cerca de 20 milhões de pessoas não têm acesso a água potável e pelo menos 500 mil crianças estariam sofrendo de desnutrição.

Ahmed informou aos integrantes do Conselho que o bombardeio em Taiz deixou a cidade em ruínas e levou à interrupção de serviços humanitários em muitas regiões.

Ele alertou ainda que grupos extremistas estão se aproveitando da situação.

Logo após o informe do enviado especial, o Conselho de Segurança emitiu um comunicado exigindo a plena implementação de suas resoluções relevantes à questão. O órgão também reiterou seu pedido para que todos os lados retomem e acelerem as consultas políticas mediadas pela ONU.

Leia Mais:

OMS: ações para apoiar vítimas do conflito no Iémen são insuficientes

Conversas para acabar com conflito no Iêmen devem começar em breve

Ataque aéreo atinge outra festa de casamento no Iêmen

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud