OMS preocupada com a qualidade da água nas Olimpíadas do Rio
BR

23 outubro 2015

Agência da ONU está fornecendo ajuda técnica às autoridades do Brasil e do COI sobre riscos para a saúde associados a locais onde ocorrerão provas aquáticas; recomendação é testar poluição e presença da bactéria E.coli.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, está fazendo uma série de recomendações ao governo brasileiro, para garantir a boa qualidade da água durante as Olimpíadas 2016 no Rio de Janeiro.

As equipes da OMS fornecem conselhos técnicos às autoridades brasileiras e aos representantes do Comitê Olímpico Internacional, COI, sobre riscos para a saúde de visitantes e de atletas que vão participar dos jogos.

Bactérias e Poluição

Uma das preocupações é com a qualidade da água de locais onde vão ocorrer as competições aquáticas, como natação, remo e vela. A OMS afirma ser preciso garantir que a água não está poluída.

As autoridades brasileiras precisam seguir as recomendações da agência da ONU e testar a qualidade da água regularmente, fazendo inspeções sanitárias e testes para checar a presença da bactéria E.coli.

Outro ponto importante é checar a presença de coliformes fecais nos ambientes onde vão ocorrer as competições aquáticas. A OMS informa que a exposição a águas contaminadas pode causar problemas gastrointestinais e viroses.