Unesco preocupada com violência contra monumentos no Oriente Médio
BR

20 outubro 2015

Diretora-geral da agência afirmou que “Jerusalém é uma terra sagrada para judeus, criatãos e muçulmanos”; Irina Bokova deplorou proposta discutida por diretoria executiva que pode alterar “status da cidade velha de Jerusalém”.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, Irina Bokova, está preocupada com a escalada da violência perto e ao mesmo tempo, contra patrimônios religiosos e culturais no Oriente Médio.

Bokova afirmou que “Jerusalém é uma terra sagrada de três religiões monoteístas, um local de diálogo para todos os judeus, cristãos e muçulmanos”.

Mosaico

Segundo a chefe da agência da ONU, a cidade é um “mosaico de culturas e povos, cuja história moldou a história de toda a humanidade”.

A diretora-geral disse que “todos os Estados-membros têm responsabilidade quanto ao mandato da Unesco, de adotar decisões que promovam o diálogo, a tolerância e a paz”.

Bokova deplorou as recentes propostas discutidas pela direção executiva da agência, que podem ser vistas, segundo ela, para alterar o “status da cidade velha de Jerusalém e de seus Muros”.

Ela pediu aos representantes dos Estados-membros que “tomem decisões que não aumentem as tensões na região, mas que encorajem respeito pela santidade dos locais sagrados”.

A chefe da Unesco pediu a todos os lados que assegurem que o Patrimônio Cultural, incluindo o religioso, seja preservado e acessível a todos. Além disso, Bokova quer a retomada do diálogo num “espírito de entendimento mútuo”.

Leia Mais:

"Extremistas temem história e cultura", declara diretora da Unesco

Kerry promete esforços para que EUA voltem a financiar a Unesco

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud