Com Wagner Moura, OIT lança campanha contra escravidão moderna
BR

20 outubro 2015

Ator é embaixador da agência da ONU para a causa; projeto “50 for Freedom” busca apoio público para que pelo menos 50 países assinem protocolo da OIT contra o trabalho forçado; mundo tem 21 milhões de vítimas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Internacional do Trabalho, OIT, lança esta terça-feira uma campanha global contra as formas modernas de escravidão. O projeto “50 for Freedom”  (50 pela Liberdade, em tradução livre), busca mobilizar pelo menos 50 países a ratificarem, até 2018, o protocolo da OIT sobre trabalho forçado.

O protocolo foi adotado pelos países-membros da agência da ONU em 2014 e inclui medidas para a prevenção, proteção e compensação das vítimas, com o principal objetivo de eliminar a escravidão moderna.

Embaixador

Outro ponto é proteger cerca de 21 milhões de vítimas do mundo todo e o embaixador da causa é o ator brasileiro Wagner Moura. Ele está em Londres esta terça-feira participando do lançamento oficial da campanha. Em agosto, Moura foi nomeado embaixador da OIT contra a escravidão moderna.

No evento, especialistas vão discutir a luta contra o trabalho forçado, padrões internacionais, a importância da coleta de dados e de políticas inovadoras para libertar as vítimas dessa situação.

Proteção

Outro brasileiro que participa do painel é Leonardo Sakamoto, diretor da ONG Repórter Brasil e conselheiro do Fundo Voluntário da ONU sobre formas contemporâneas de escravidão.

Segundo a OIT, os países que ratificarem o protocolo serão obrigados a garantir que todos os trabalhadores, de qualquer setor, estejam protegidos por leis. As inspeções nos locais de trabalho precisarão ser reforçadas para garantir que ninguém esteja sendo explorado.

Pelo protocolo, os países também devem garantir a libertação, recuperação e reabilitação das vítimas da escravidão moderna. Outra medida é informar os cidadãos sobre crimes ligados ao problema, como o tráfico humano.

Leia Mais:

Wagner Moura nomeado embaixador da ONU contra a escravidão moderna

Wagner Moura apoia campanha da ONU contra o trabalho escravo

Entrevista: Wagner Moura