OIM retirou mais de 7,1 mil etíopes do Iémen após agravamento do conflito

14 outubro 2015

Crianças desacompanhadas aguardam localização pelos familiares na capital etíope; migrantes são apoiados pela agência durante e após a sua chegada na terra de origem.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, anunciou que desde março já foram retirados 7.166 cidadãos etíopes do Iémen devido ao conflito.

Na última semana, 83 migrantes regressaram à Etiópia. O grupo incluía 15 crianças desacompanhadas que esperam ser localizadas pelos seus familiares, na capital Addis Abeba.

País de Trânsito

A operação tem sido coordenada pelos escritórios da agência parceira da ONU e os governos da Etiópia e do Djibuti, que é país de trânsito.

Cerca de 70 mil pessoas vindas do Iémen estão nos dois países, na Somália e no Sudão. Uma avaliação realizada na semana passada estima que a retirada de estrangeiros do conflito poderá custar US$ 155 milhões até o fim de 2016.

Apoio

A OIM revelou  que além de oferecer ajuda humanitária essencial durante o processo, garante que os migrantes recebam apoio após a sua chegada na Etiópia.

Nos primeiros sete meses deste ano, as Nações Unidas estimam que 4,5 mil civis morreram devido a explosivos no Iémen. O país continua a registar combates entre as milícias houthis e o governo, que é apoiado por uma coligação liderada pela Arábia Saudita.

Leia Mais:

Ataque aéreo atinge outra festa de casamento no Iêmen

Retirar estrangeiros do conflito no Iémen pode custar US$ 155 milhões até 2016

Número de refugiados aumentou mais de 50% em 10 anos

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud