OIM regista 2.881 mortos que tentavam atravessar o mar Mediterrâneo em 2015

2 outubro 2015

Lampedusa acolhe cerimónia para assinalar 2º ano após a morte de 368 migrantes na maioria etíopes; sobreviventes, familiares e funcionários participam na cerimónia este sábado na cidade italiana.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Internacional para Migrações, OIM, anunciou esta sexta-feira que 2.881 pessoas morreram a tentar atravessar o mar Mediterrâneo em 2015.

A informação foi dada nas vésperas da cerimónia que vai assinalar o segundo ano da tragédia ocorrida a 3 de outubro de 2013 na ilha italiana de Lampedusa, em que 368 migrantes perderam a vida.

Familiares

A maioria das vítimas fugiu da Eritreia e pretendia chegar à Europa via Líbia.

Segundo a OIM, a cerimónia terá a presença de sobreviventes, de familiares das vítimas e de pessoas que apoiaram as operações de resgate além de representantes de organizações humanitárias.

A agência parceira da ONU disse que as vítimas tornaram-se um sinónimo da passagem fatal de migrantes de África e do Médio Oriente, em busca de uma nova vida na Europa.

Grécia e Itália

A OIM destaca ainda que por várias vezes morreram mais de 400 pessoas, no mesmo dia, durante os últimos dois anos.

De acordo com a agência, 533.500 migrantes chegaram à Europa por via marítima em 2015. Cerca de 400 mil chegaram à Grécia e mais de 130 mil chegaram à costa da Itália. Outros 3 mil seguiram por terra à Espanha ou Malta.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud