Nações Unidas reforçam que Mali deve aderir ao acordo de paz

1 outubro 2015

Numa reunião de alto nível à margem da Assembleia Geral, vice-secretário-geral da ONU pede fim de todas as ações que violam o acordo de cessar-fogo; proteção dos direitos humanos deve ser outra prioridade para o país.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Mali foi tema de uma reunião ministerial realizada esta quinta-feira na sede da ONU, à margem dos debates da Assembleia Geral. Para o vice-secretário-geral das Nações Unidas, o encontro serviu para enviar uma forte mensagem aos partidos malianos, em especial aos movimentos político-militares.

Outra proposta da reunião era reforçar o apoio internacional ao processo de paz e à implementação do Acordo de Paz e Reconciliação de junho. Jan Eliasson pediu aos lados em conflito no Mali para “abdicarem de todas as ações que violam o acordo e um cessar-fogo”.

Direitos Humanos

O subsecretário-geral da ONU citou a necessidade do governo fazer as reformas institucionais, como está previsto no acordo. Eliasson considerou essencial proteger e respeitar os direitos humanos e a luta contra a impunidade.

Apesar de mudanças positivas no terreno, a situação no Mali continua a ser um desafio e desde 2012, o governo tenta restaurar a estabilidade.

Mas a tentativa foi prejudicada com um golpe de Estado, novos confrontos entre forças do governo e rebeldes tuaregue e a presença de radicais islamitas no norte do país. Com isso, a crise humanitária no Mali foi agravada.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud