Perspectiva Global Reportagens Humanas

Na ONU, Jorge Sampaio fala de apoio a universitários sírios

Jorge Sampaio. Foto: ONU/Rick Bajornas

Na ONU, Jorge Sampaio fala de apoio a universitários sírios

Antigo chefe de Estado português quer garantir geração de líderes sírios e seus formadores no pós-conflito; mais de 140 estudantes frequentam universidades de 10 países com o apoio da sua ONG Apoio Académico de Emergência.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O ex-presidente de Portugal, Jorge Sampaio, explicou porque deve ser considerado "uma emergência" o apoio a sírios que interromperam o ensino superior devido ao conflito.

Nas Nações Unidas, o vencedor do Prémio Mandela da Assembleia Geral 2015 disse que o grupo tem ficado para trás, com o foco internacional dado ao auxilio humanitário de alunos sírios dos ensinos primário e secundário.

Propinas

Sampaio está à frente de uma iniciativa portuguesa que oferece bolsas universitárias e apoia o pagamento de propinas de sírios. Estudantes apoiados pela ONG Apoio Académico de Emergência estão em 10 países nomeadamente Líbano, Iraque, Turquia, Egito, Suíça, EUA, França, Alemanha e França.

"Temos a nosso cargo já 140 mais ou menos. Começamos por 63, vieram mais 40 e assim sucessivamente.  Só podemos avançar à medida que houver recursos  disponíveis para pagar uma parte e isso é essencial. Porque consideramos que não se pode deitar fora aqueles que ficaram no meio de uma educação universitária, que são essenciais para considerar uma geração futura de líderes do seu país, de ajudar à manutenção da paz e à sua criação para formar pessoas e constituir profissões que são necessárias à reconstrução do país."

Enviado Especial

O antigo primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, esteve entre  as personalidades abordadas por Sampaio.  O ex-chefe de Estado português explicou o motivo do diálogo com o atual  enviado especial da ONU para a Educação.

"Há um nicho de aplicação de dinheiros completamente objetivos num contexto da necessidade de formar diplomados. Portanto, a questão é de organizar. Como é que entre as várias possibilidades se organiza e coordena . Isso pode-se fazer através do que designei de mecanismo de resposta rápida ou um consórcio de universidades que tenha lugares disponíveis para estes estudantes. Combinando tudo isso e combinando ao financiamento, pode ser uma parte do financiamento que existe e pode ser buscado para a educação em geral e aplicado neste conjunto de coisas. Os contactos foram nesse sentido."

Capacidade de Liderar

Jorge Sampaio defende que mais recursos podem garantir que após o conflito sírio haja uma "geração de líderes e de formadores de pessoas com a capacidade de liderar".

O ex-presidente disse que vários jovens beneficiados pela iniciativa já fizeram o mestrado, outros tentam completar o nível e "há 700 ofertas não concretizadas por falta de fundos para o pagamento de bolsas".

Leia Mais:

Assembleia Geral destaca “momento histórico” no fim da 69ª sessão

Jorge Sampaio "diz que obrigação coletiva é proteger os indefesos"

Na ONU, Jorge Sampaio recebe Prêmio Nelson Mandela