Novos objetivos de desenvolvimento podem custar US$ 7 tri por ano
BR

22 setembro 2015

Cálculo é da Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad; em São Paulo, chefe do Pnuma explica que se temperatura média global subir 6 graus, investimentos poderão subir para US$ 13 trilhões.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

O diretor-executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, participou na segunda-feira, em São Paulo, de um seminário sobre economia verde e mudança climática.

Achim Steiner aproveitou para falar sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS, conjunto de 17 metas que será adotado pelos países e pela ONU no fim de semana.

Custos

Para o chefe do Pnuma, a nova agenda global poderá colocar o “mundo no caminho de um futuro sustentável”, já que as metas deverão ser cumpridas até 2030.

Steiner mencionou um cálculo da Unctad, a Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, sobre os custos dos ODS: os países precisarão investir entre US$ 5 trilhões e US$ 7 trilhões por ano para que as metas sejam alcançadas.

Sistema Financeiro

A maioria dos investimentos deve ir para os países em desenvolvimento, onde segundo o chefe do Pnuma, já existe uma lacuna de US$ 2,5 trilhões anuais em investimentos para a sustentabilidade.

No seminário em São Paulo, Achim Steiner explicou que buscava identificar novos parceiros do sistema financeiro que possam contribuir com esse financiamento. O debate foi promovido na sede da Febraban, a Federação Brasileira de Bancos.

Setor Privado

O diretor do Pnuma destacou ser preciso também “ampliar os horizontes de financiamento” e levar em consideração os “impactos catastróficos da mudança climática”.

Segundo Steiner, se a temperatura média global subir 6 graus, os investimentos podem totalizar US$ 13 trilhões. Ele explicou três maneiras de mobilizar esse dinheiro.

A primeira é criar mais interesse no “financiamento verde”, colocando um preço no carbono e introduzindo políticas ambientais eficazes.

A segunda sugestão é angariar financiamento do setor privado. Steiner citou como exemplo a China, país que tem um plano de US$ 320 bilhões em “investimentos verdes”, mas é esperado que apenas de 10% a 15% desse dinheiro venha do governo.

A terceira medida é agir dentro do sistema financeiro, promovendo a inovação do mercado de capital e garantindo coerência entre regras financeiras e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Leia todas as notícias sobre os ODS