Acnur alerta para “última chance” de se resolver crise de refugiados
BR

22 setembro 2015

Líderes da União Europeia estão reunidos para discutir propostas de emergência para acolher 120 mil pessoas; agência da ONU disse que mais de 6 mil migrantes e refugiados chegam todos os dias às praias europeias.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, fez um alerta sobre a última chance de se resolver a crise de migrantes e refugiados na Europa.

Os líderes do continente estão reunidos em Bruxelas pelos próximos dois dias para debater as propostas de emergência da agência da ONU para solucionar o problema.

Crise Política

Eles estão discutindo planos para acolher mais de 120 mil pessoas que buscam asilo. O Acnur informou que, neste momento, mais de 6 mil migrantes e refugiados chegam diariamente às praias europeias, a maioria vindo da Síria, Iraque e Afeganistão.

O chefe da agência, António Guterres, afirmou que essa “é uma crise política combinada com a falta de união dos países europeus”.

O Acnur diz que um programa de realocamento sozinho não será suficiente para estabilizar a situação. A agência da ONU propôs uma série de medidas que têm como meta ajudar a Europa a resolver a crise.

Instalações

O documento pede forte apoio dos líderes para a criação imediata de instalações na Grécia e a ampliação das já existentes na Itália, para receber, registrar e prestar assistência aos que chegam pelo mar.

Sem uma capacidade para receber os migrantes e refugiados, o programa para realocar as pessoas não vai funcionar de forma eficaz. Além disso, será necessária a criação de instalações na Sérvia e em outros países que sejam locais de trânsito.

O Acnur afirma que é preciso transferir imediatamente 40 mil pessoas da Grécia e da Itália para outros países.

Proteção Internacional

Para a agência da ONU é importante fortalecer os mecanismos para o retorno de pessoas que não necessitem de proteção internacional, com o apoio da OIM, a Organização Internacional para Migrações e da Frontex, iniciativa europeia para reforçar as operações marítimas pela região.

Em paralelo a essas ações, o Acnur afirma que são necessárias medidas urgentes para estabilizar a situação nos países vizinhos da Europa. Isso deve ser feito com mais ajuda humanitária e apoio estrutural às nações que abrigam grande população de refugiados.

O Alto Comissariado da ONU explica que a atual situação de emergência na Europa é primariamente uma crise de refugiados. O continente registrou quase 480 mil pessoas que chegaram pelo mar, a maioria na Grécia.

O Acnur reforçou as operações não só na Grécia, mas também na Macedônia, na Sérvia e na Croácia. A agência está trabalhando em conjunto com os governos locais para atender às necessidades humanitárias das pessoas que chegam ou das que estão atravessando o país com outro destino.