Grupo da ONU pede prioridade à busca por pessoas desaparecidas
BR

18 setembro 2015

Especialistas em direitos humanos afirmam que muitos governos têm mais informação sobre a quantidade de aparelhos celulares no país do que sobre o número de desaparecidos; relator diz que tempo para promessas acabou.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre Desaparecimentos Forçados ou Involuntários apresentou seu relatório anual esta sexta-feira no Conselho de Direitos Humanos, em Genebra.

Os especialistas querem que os países “assumam a busca por desaparecidos como uma prioridade”. Eles fizeram um apelo para que a questão seja reconhecida e a extensão do problema seja determinada de forma confiável.

Comparação

O chefe do grupo, Ariel Dulitzky, declarou que vários governos “têm mais informação sobre a quantidade de aparelhos celulares do que o número de pessoas desaparecidas” no país.

Ao discursar para os 47 Estados-membros do Conselho de Direitos Humanos, Dulitzky disse que “provavelmente uma pessoa estava desaparecendo” em cada um dos países enquanto ele falava.

México

O presidente do Grupo de Trabalho sobre Desaparecimentos Forçados afirmou que “acabou o tempo de palavras e de promessas”. Agora, é “hora de ação” em nome dos familiares das vítimas, em apoio a sua luta por “verdade, justiça, reparação e memória”.

Segundo Dulitzky, sua equipe recebe diariamente denúncias sobre pessoas desaparecidas. Sobre o México, ele elogiou a “reação positiva do governo sobre um relatório recente” ligado ao desaparecimento de 43 estudantes em Iguala, ocorrido há quase um ano.

Agências de notícias revelam esta sexta-feira que foram identificados os restos mortais de um segundo estudante do grupo; o primeiro havia sido identificado em dezembro. Um suposto mentor do massacre foi preso na quinta-feira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud