Número de casos de cólera ultrapassa 1 mil na Tanzânia

11 setembro 2015

OMS disse que não há nenhuma restrição de viagem ao país; capital Dar es Salam está a poucos dias de completar um mês com casos da doença; agência da ONU ajudou a criar uma equipa nacional e cinco centros de tratamento.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, confirmou esta sexta-feira que foi notificada de surtos de cólera na Tanzânia.

As autoridades do país disseram que doença já fez 14 mortos em 1.268 casos registados.

Testes

A agência da ONU informou que não recomenda nenhuma restrição de viagem ou comércio à Tanzânia, onde o vibrião colérico foi confirmado nos testes de laboratório feitos nos locais afetados pela doença.

Na capital tanzaniana, Dar es Salaam, o problema iniciou a 15 de agosto. Há também registos de doentes na área costeira de Pwami e nos distritos de Iringa e Morogoro.

A primeira região a registar pacientes foi Rorya, no distrito de Mara, a leste. Em finais de julho  foi a vez da região vizinha de Kigoma onde, entretanto, não se registam casos há três semanas.

Coordenar Esforços

No terreno, foi feita uma avaliação rápida para identificar as lacunas e as necessidades urgentes. A OMS juntou-se às autoridades da saúde nacionais e regionais para coordenar os esforços de resposta à cólera.

Para o controlo do surto foi montada uma equipa nacional e cinco centros de tratamento com vista a gerir os casos em Dar es Salaam e em Morogoro, a sul do país.

Técnicos foram despachados para realizar ações de vigilância como a procura de casos e o abastecimento de água e saneamento. As outras tarefas incluem o controlo, a gestão de laboratórios e as intervenções de mobilização social.

Leia Mais:

ONU pede calma em relação a caso suspeito de ébola na Tanzânia

OMS chama atenção para cólera na Tanzânia e no Sudão do Sul

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud