FAO afirma que preço dos alimentos teve queda mais acentuada em 7 anos
BR

10 setembro 2015

Índice bateu 155.7 pontos em agosto, 5,2% menor do que em julho; crise no preço da energia e preocupações com a situação econômica da China contribuíram para a queda.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

O Índice de Preço dos Alimentos registrou 155.7 pontos em agosto, 5,2% menor do que os números de julho, sendo a queda mensal mais acentuada desde dezembro de 2008.

Os números são da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, que divulga mensalmente o Índice de Preço dos Alimentos, baseado nos mercados internacionais. São sempre avaliadas cinco commodities: cereais, carnes, laticíneos, óleos vegetais e açúcar.

Brasil

Segundo a FAO, a queda do índice em agosto foi influenciada pela crise no preço da energia e pela preocupação com a desaceleração da economia da China.

A desvalorização do Real brasileiro frente ao dólar contribuiu para que o índice de preço do açúcar caísse 10% em agosto, na comparação com julho. O Brasil é o maior produtor mundial, seguido pela Índia.

Leite e Cereais

As outras commodities que tiveram diminuição no índice de preços foram os cereais (-7%), devido a melhorias na produção; os óleos vegetais (-8,6%), resultado de uma demanda mais fraca de importação do óleo de palma, e os laticíneos (-9,1%), já que os preços do leite em pó, do queijo e da manteiga também caíram.

Em contraste, o valor da carne permaneceu inalterado em agosto, na comparação com julho. Nesta quinta-feira, a FAO divulgou também uma previsão da produção global de cereais.

Previsões

Para este ano, a expectativa é de que a produção chegue a 2,5 bilhões de toneladas, ou 0,8% menor do que o recorde de 2014. Já a produção de grãos deve alcançar 1,3 bilhão de toneladas.

Em julho, a produção global de grãos subiu, graças às boas condições de plantio de milho na Argentina, no Brasil e nos Estados Unidos. A produção mundial de arroz também melhorou e a FAO prevê 501 milhões de toneladas produzidas em 2015.