Demanda de madeira pode triplicar até 2050 em África, diz relatório

10 setembro 2015

Mais de 90 milhões de metros cúbicos do recurso são consumidos por ano no continente; crescimento económico e populacional provocam rápido aumento da procura.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Até 2050, a procura interna por madeira em touros pelas indústrias em África pode duplicar ou mesmo triplicar em relação aos níveis agora registados.

A informação consta num relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma. A agência estima que 96,2 milhões de metros cúbicos de madeira africana são explorados por ano.

Congresso

O documento foi lançado em parceria com o Instituto Internacional sobre o Ambiente e Desenvolvimento, Iied, por ocasião do 14º Congresso Internacional de Florestas. O evento decorre na cidade sul-africana de Durban até sexta-feira.

Com o título "O Papel das Florestas numa Economia Verde em Transformação em África", o relatório destaca o rápido aumento da procura por produtos e serviços florestais no continente.

Entre os estímulos para o fenómeno estão o crescimento da população e a expansão das economias.

Desflorestação

Essa pressão aliada à invasão das florestas por outros setores "pode levar a níveis insustentáveis de exploração e acelerar a desflorestação".  Entre as  consequências estão a perda de meios de subsistência e a diminuição da biodiversidade.

O Pnuma recomenda uma integração mais forte do setor florestal no planeamento e na contabilidade dos países. Essa área é explorada em grande medida pelo setor informal.

A decisão poderia ajudar a aumentar a produtividade do setor e  promover a gestão sustentável dos recursos florestais, estimulando a resposta à grande demanda pelos produtos florestais.

Estatísticas

As florestas cobrem 35% das terras do continente africano. Juntamente com as áreas arborizadas, estas desempenham um papel muito importante nas economias que entretanto "não é totalmente refletido nas estatísticas oficiais".

O relatório destaca que a política económica está concentrada na indústria madeireira formal, que contribui com menos de 1% para o Produto Interno Bruto, PIB, do continente.

A dominar a indústria informal estão o carvão e a lenha, responsáveis por 90% do consumo de madeira em África. O setor contribui para cerca de 2% do PIB do continente e absorve cerca de 5% da força de trabalho africana.

Leia Mais:

Entrevista: Congresso Florestal Mundial

Encontro pede investimento em florestas para desenvolvimento sustentável 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud