Moçambique: agências da ONU apoiam introdução da vacina contra o rotavírus

4 setembro 2015

Imunização deve reduzir casos de internamento de crianças em até 90%; autoridades destacam contributo do remédio para diminuir menores doentes ou que perdem a vida devido às diarreias antes de completar cinco anos.

Ouri Pota , da Rádio ONU em Maputo.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, e o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, apoiam o lançamento da vacina contra o rotavírus em Moçambique, a decorrer esta sexta-feira.

A diretora do Programa Alargado da Vacinação no Ministério da Saúde, Graça Matsinhe, disse que a imunização contra uma das principais causas de diarreias vai reduzir o índice de mortalidade nas crianças no país.

Expectativa

“Ao introduzir esta vacina, nós esperamos que cerca de 80% a 90% dos internamentos por diarreia possam reduzir nas crianças. Portanto é um marco muito importante no sentido de que poderemos reduzir a mortalidade nas crianças abaixo dos cinco anos por diarreias.”

Em Moçambique, a diarreia é a terceira causa de morte de crianças menores de cinco anos, depois da malária e da pneumonia. O diretor nacional adjunto da Saúde Pública no Ministério da Saúde, Quinhas Fernandes, disse que a introdução da vacina é um desafio para os profissionais da saúde.

Doses

“Até dezembro, o nosso sistema de vacinação irá abranger cerca de 335 mil crianças, na faixa etária recomendada para esta vacina. Introduzir uma nova vacina e alcançar estes números no tempo que nos resta por parte do Ministério da Saúde e, acima de tudo, dos profissionais que estão afetos às diferentes unidades sanitárias do país.”

De acordo com o responsável, a vacina contra o rotavírus deve ser administrada em duas doses.

“Esta vacina é administrada em forma de gotas, em duas doses, nas crianças com dois e três meses de vida. Esta vacina pode ser administrada até aos quatro meses de vida, a primeira dose. A segunda dose até aos sete meses de vida."

Matsinhe falou da parceria que culminou com a iniciativa, onde devem ser administradas ambas as doses a menores entre os dois e os sete meses de vida.

Conservação

“A OMS tem prestado apoio técnico naquilo que diz respeito a emissão de guiões, de diretrizes para introdução e gestão de vacinas no país. O Unicef também tem um papel de apoio técnico, tivemos um apoio muito grande naquilo que é a melhoria da cadeia do frio, todas condições para conservação das vacinas. Portanto nós contamos muito com estes dois parceiros para garantir que à vacina chegue aos nossos principais beneficiários em boas condições”.

A nível global mais de 95% das crianças até os cinco anos contraem doença por rotavírus, o principal causador de diarreias no mundo. Em Moçambique,  o agente causa entre 30 % a 40 % de casos de acordo com a época do ano.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud