Pnuma: item de baixo custo pode revolucionar avaliação de qualidade do ar
BR

1 setembro 2015

Para agência da ONU, dispositivo pode ajudar países a evitar mortes causadas por poluição; segundo o diretor-executivo do Pnuma,  “todos os anos, a poluição do ar causa 7 milhões de mortes prematuras no mundo”.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Um dispositivo “inovador” de medição da qualidade do ar foi lançado nesta segunda-feira em Nairobi, capital do Quênia, pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma. O projeto piloto é conduzido em cooperação com o governo queniano.

Segundo a agência, a expectativa é de que o item custe até 100 vezes menos do que as soluções existentes. Para o Pnuma, o dispositivo tem o potencial de “revolucionar a medição de ar em países em desenvolvimento e ajudar a prevenir mortes causadas pela poluição do ar”.

Baixo Custo

O objeto, capaz de coletar todos os parâmetros vitais de qualidade de ar, vai custar cerca de US$ 1,5 mil, cada unidade.

De acordo com o Pnuma, isto permite que governos criem redes nacionais de estações móveis e fixas de monitoramento de ar por entre US$ 150 mil a US$ 200 mil. Atualmente, aproximadamente o mesmo valor é necessário para estabelecer apenas uma estação.

Público

O Pnuma pretende disponibilizar publicamente as plantas deste equipamento. Isto vai permitir que governos e organizações montem ou fabriquem as unidades, criando oportunidades para inovação, desenvolvimento empresarial e criação de “empregos verdes”.

Atualmente, uma plataforma do Pnuma permite o monitoramento, quase em tempo real, da qualidade do ar de 2000 estações em todo o mundo. No entanto, apenas uma parte delas está localizada em países em desenvolvimento e sua instalação varia.

Para a agência, o novo dispositivo pode preencher com sucesso esta lacuna de dados e contribuir para a padronização da coleta de dados.

Mortes

Segundo o diretor-executivo do Pnuma,  “todos os anos, a poluição do ar causa 7 milhões de mortes prematuras no mundo, com a poluição ao ar livre sendo responsável por mais de metade do total”.

Para Achim Steiner, “tragicamente, essas mortes são totalmente evitáveis”. Ele afirmou ainda que de acordo com a “Organização Mundial da Saúde, OMS, 88% das mortes relacionadas à poluição ao ar livre ocorrem em países de rendas baixa e média”.

No entanto, de acordo com o chefe da agência da ONU, são exatamente estes países que normalmente não têm acesso a dados sobre sua qualidade de ar.

Ele afirmou que o dispositivo do Pnuma pode desencadear um aumento nos dados e ajudar países a reduzir efeitos negativos da poluição do ar, potencialmente salvando vidas.

Leia Mais:

Pnuma: preparação é essencial para evitar piores consequências de desastres 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud