Ban pede que países firmem e ratifiquem tratado contra testes nucleares
BR

29 agosto 2015

Secretário-geral da ONU fez a declaração para marcar o Dia Internacional Contra Testes Nucleares, este sábado 29 de agosto; ele afirmou que documento é essencial para a eliminação das armas atômicas.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu aos Estados-membros que assinem e ratifiquem o Tratado Abrangente de Proibição de Testes Nucleares, Ctbt, pela sigla em inglês.

A declaração foi feita para marcar o Dia Internacional Contra Testes Nucleares, este sábado.

Moratória Voluntária

Ban elogiou a moratória voluntária imposta por vários países com armas atômicas mas afirmou que isso não pode servir de substituto para um tratado jurídico vinculativo.

Segundo o chefe da ONU, o Ctbt é essencial para a eliminação das armas nucleares. Ele explicou que o tratado é um meio para se verificar a quantidade e a qualidade dos armamentos nucleares que estão sendo desenvolvidos.

Em 2009, a Assembleia Geral da ONU declarou 29 de agosto como o Dia Internacional Contra Testes Nucleares. A resolução foi adotada por unanimidade com o objetivo de chamar a atenção e educar a população mundial sobre os efeitos dos testes nucleares.

Armas Atômicas

Além disso, o documento cita a necessidade da suspensão desta prática como um dos meios para se atingir a meta de um mundo sem armas atômicas.

O primeiro teste aconteceu em 1945 e deste então mais de 2 mil outros foram realizados.

Ban afirmou que “a melhor forma de prestar homenagem às vítimas do passado é evitar que novos testes sejam feitos”. Ele disse que “20 anos depois do tratado ter sido negociado é mais do que o momento dele entrar em vigor”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud