ONU pede à Colômbia e Venezuela que resolvam situação na fronteira
BR

28 agosto 2015

Diálogo é o caminho mais adequado para solucionar violações ligadas à deportação de colombianos, segundo o Escritório de Direitos Humanos; secretário-geral Ban Ki-moon também acompanha a situação.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Escritório de Direitos Humanos da ONU está preocupado com a situação na fronteira entre a Colômbia e a Venezuela, ligada à deportação de colombianos.

Nesta sexta-feira, o escritório pediu às autoridades dos dois países que resolvam a situação “por meio da discussão calma e do diálogo”, que devem estar de acordo com as obrigações que as nações têm sob a lei internacional de direitos humanos e a lei de refugiados.

Emergência

De acordo com agências de notícias, as tensões entre Colômbia e Venezuela aumentaram após o fechamento de vários postos de fronteira e a deportação de migrantes colombianos.

A porta-voz do escritório de Direitos Humanos da ONU afirmou, em Genebra, que outro ponto preocupa: a declaração de “estado de emergência” em seis municípios do estado venezuelano de Táchira.

Ravina Shamdasani pediu às autoridades dos dois países para conversarem e resolverem a situação. Ao governo da Venezuela, foi feito também um apelo em prol do respeito aos direitos humanos, em especial no contexto das deportações.

A porta-voz ressaltou que o Escritório da ONU de Direitos Humanos vai continuar monitorando a situação e está pronto para aconselhar as autoridades venezuelanas e colombianas. O próprio secretário-geral da ONU declarou que também está acompanhando a situação na fronteira entre os dois países. Ban Ki-moon afirmou que a ONU apoia esforços para tratar as necessidades das pessoas na região que precisam de assistência humanitária.

.