Unido e Opec fazem parceria para melhorar mercado do camarão na AL
BR

27 agosto 2015

Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial e Organização dos Países Exportadores de Petróleo vão combinar recursos técnicos e financeiros; Colômbia, Cuba e México entre nações beneficiadas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

A Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial, Unido, quer melhorar a produção e a competitividade do mercado de camarão em vários países da América Latina.

Para isso, a Unido fechou uma parceria com o fundo de desenvolvimento da Opep, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo. As duas entidades vão combinar recursos técnicos e financeiros para ajudar a melhorar a cadeia de produção de camarão.

Valor

Colômbia, Cuba, Equador, México, Nicarágua e República Dominicana serão os países beneficiados. O projeto tem o valor de US$ 900 mil (cerca de R$ 3 bilhões) e o fundo da Opep vai contribuir com US$ 300 mil.

O acordo entre a Unido e o Fundo para o Desenvolvimento Internacional da Opep foi assinado em Viena, na Áustria, na quarta-feira. O diretor da Unido, Li Yong, declarou que “em países da América Latina, o setor do camarão representa uma importante fonte de renda”.

Padrões de Qualidade

Apesar disso, “muitas dessas nações precisam melhorar sua produtividade e competitividade, para seguir os padrões internacionais de qualidade e ambientais”.

O projeto também vai promover a sustentabilidade, ajudar a criar empregos e melhorar a segurança alimentar na região. A Unido destaca que a criação de camarão é fonte vital de renda em países em desenvolvimento.

O camarão representa 15% do valor total dos produtos de pesca comercializados internacionalmente. Equador e México estão entre os maiores produtores do setor, no nível regional.

O novo projeto vai beneficiar produtores, companhias de cultivo, processadores, empresas que transportam camarão e comerciantes. Segundo a Unido, outro objetivo é ampliar parcerias público-privadas para melhorar negócios locais.