Ban condena ataque que matou líder da maior província do Paquistão

17 agosto 2015

Cerca de 12 pessoas perderam a vida no atentado reivindicado por um dos braços da al-Qaeda; secretário-geral reitera que nada justifica o terrorismo; Shuja Khanzada era considerado um dos responsáveis da campanha contra o terror.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU condenou o atentado a bomba, que este domingo fez várias vítimas mortais no distrito de Attock na província paquistanesa de Punjab.

Ban Ki-moon disse ter ficado abalado ao saber da morte de mais de 12 pessoas no ataque, incluindo o primeiro-ministro da maior província paquistanesa, Shuja Khanzada, além vários feridos.

Justiça

Na nota emitida pelo seu porta-voz, em Nova Iorque, o chefe da ONU reitera que nada justifica o terrorismo e disse esperar que os autores do ato sejam rapidamente levados à justiça.

Agências de notícias informaram que um grupo de milícias sunitas com ligações à al-Qaeda anunciou ter dado ordens para o ataque ocorrido a cerca de 80 km a noroeste da capital do Paquistão, Islamabad.

Campanha

De acordo com os relatos, Khanzada era tido como um dos principais responsáveis pela campanha contra o terror em Punjab.

A nota termina com  o secretário-geral a manifestar condolências às famílias das vítimas, ao povo e ao governo paquistanês com desejos de uma rápida recuperação aos feridos.

Leia Mais:

 Unicef recebe relatos de abuso sexual de crianças no Paquistão

Entidades da ONU deploram execução de paquistanês condenado aos 14 anos

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud