Ban diz que após Nagasaki, houve união por um mundo sem armas nucleares
BR

9 agosto 2015

Bomba atômica caía na cidade japonesa há exatos 70 anos, matando cerca de 70 mil pessoas; secretário-geral avalia que não se pode permitir uso de armas nucleares no futuro, porque consequências humanitárias são enormes.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Em 9 de agosto de 1945 a cidade de Nagasaki, localizada na ilha japonesa de Kyushu, era atingida por uma bomba atômica. O fim da Segunda Guerra Mundial estava próximo e o Japão enfrentava o segundo ataque nuclear em três dias.

Neste domingo, 70 anos após a explosão da bomba em Nagasaki, as Nações Unidas homenageiam as vítimas e os sobreviventes. O representante interino para Assuntos do Desarmamento da ONU, Kim Won-soon, participou na cidade japonesa de uma cerimônia, e transmitiu a mensagem do secretário-geral.

Futuro

Para Ban Ki-moon, os habitantes da cidade carregam uma mensagem importante para o mundo: Nagasaki deve continuar como o último local atingido, porque não “se pode permitir o uso de armas nucleares no futuro”.

O secretário-geral da ONU lembra que as consequências humanitárias de um ataque nuclear são muito grandes. Por isso, ele diz que participa do “grito de guerra mundial: Não mais Nagasakis. Não mais Hiroshimas.”

Sobreviventes

Mais de 200 mil pessoas morreram em Hiroshima e Nagasaki devido à radiação. E segundo a ONU, nas décadas após o ataque, 400 mil pessoas morreram com os impactos na saúde causados pelas duas bombas.

Ban Ki-moon saúda os hibakusha, como são conhecidos os sobreviventes de Hiroshima e Nagasaki. Para o chefe da ONU, eles representam a “face humana dessa tragédia criada pelo homem, recusando-se em ceder, na esperança de um futuro melhor”.

Legado

Ban lembra que atualmente, a idade média de um hibakusha passa dos 80 anos, por isso o secretário-geral sente cada vez mais “um senso de urgência em honrar o legado dos sobreviventes, eliminando todas as armas nucleares do mundo”.

O secretário-geral citou as palavras do prefeito de Nagasaki, Taue: “As armas nucleares foram feitas por humanos e os humanos podem conquistá-las, mas os seres humanos também podem abolir” esses armamentos.

Ban afirma que as Nações Unidas vão mobilizar a população mundial para alcançar essa meta.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud