Perito da ONU pede mais segurança para ativistas no Burundi

7 agosto 2015

Relator sobre a situação dos defensores dos direitos humanos reagiu ao ataque e tentativa assassinato contra líder da Associação para a Proteção dos Direitos Humanos do Burundi; Pierre Claver Mbonimpa ainda está hospitalizado.

Eleutério Guevane, das Rádio ONU em Nova Iorque.

Um perito das Nações Unidas pediu ao Governo do Burundi que proteja todos os direitos dos ativistas de direitos humanos, após o ataque e a tentativa assassinato a um dos mais conhecidos defensores da área no país.

Para o relator sobre a situação dos defensores dos direitos humanos, Michel Forst, a ação contra Pierre Claver Mbonimpa envia uma mensagem bastante assustadora a todos os membros da sociedade civil e a toda a população.

Turbulência

Mbonimpa foi alvejado quatro vezes por desconhecidos no princípio da semana, quando conduzia uma moto a caminho de casa.

Forst disse que está preocupado com a segurança de todas as pessoas que defendem os direitos humanos no Burundi no período de turbulência e de insegurança no país. O seu apelo é pelo fim imediato da violência.

Para o especialista, as autoridades burundesas devem deixar claro que tais "ataques hediondos" não serão tolerados. O outro pedido é que estas façam o máximo para proteger os defensores dos direitos humanos contra futuros ataques.

Julgamento

Quanto a Mbonimpa, o relator pediu proteção durante a sua recuperação no hospital. O apelo é que haja uma investigação independente e imparcial para que os autores sejam levados à Justiça, num julgamento justo.

A vítima presidia a Associação para a Proteção dos Direitos Humanos do Burundi. Frost destaca o seu historial de defesa dos direitos dos prisioneiros e no combate à tortura no país.

Temas Controversos

O perito realça o reconhecimento internacional a Mbonimpa com prémios de direitos humanos e pelas declarações públicas sobre temas controversos, incluindo as recentes eleições presidenciais no país. Ele foi detido em 2014 e em abril de 2015.

Frost disse que informou ao governo Burundi sobre várias preocupações graves em relação à situação de Mbonimpa juntamente com outros especialistas do sistema da ONU. Ele encerra a nota a pedir o fim imediato de atos de intimidação e de perseguição.

Leia Mais:

ONU condena tentativa de assassinato de ativista no Burundi

Em conferência telefónica, chefe da ONU e líderes africanos debatem o Burundi

Burundi: Ban revela grande apreensão após assassinato de proeminente general