Levantamento aponta para 4 mil mortes no Iêmen desde março
BR

28 julho 2015

Dado foi apresentado pela Organização Mundial da Saúde; total de feridos chega a quase 20 mil; números são baseados em relatórios dos centros de saúde do país.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Quase 4 mil pessoas foram mortas desde a escalada do conflito no Iêmen, em março. Os números são baseados em dados dos centros de saúde do país e foram apresentados esta terça-feira pela Organização Mundial da Saúde, OMS.

Entre 19 de março e 19 de julho, mais de 19 mil pessoas ficaram feridas no Iêmen. Se forem considerados apenas os civis, o total de mortos chega a 1,8 mil, sendo que mais de 4 mil civis sofreram ferimentos.

Ataque Recente

O levantamento mais recente feito pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, confirma que 365 crianças morreram em meio aos confrontos.

Mas o número de mortos deve subir, porque houve um ataque recente no distrito de Moca, que matou pelo menos 55 civis. Muitos corpos ainda estão sendo recuperados.

Ataques aéreos atingiram um complexo residencial na região na sexta-feira, onde vivem 20 mil deslocados internos. Os hospitais de Moca estão superlotados após o incidente, considerado o maior ataque no Iêmen desde março.

O subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários declarou, esta terça-feira, esperar que a pausa humanitária no Iêmen seja respeitada. Stephen O’Brien explica que a medida é importante para que os civis tenham uma trégua da violência e para que agências humanitárias consigam entregar itens de emergência no país.

Leia Mais:

Consequências humanitárias do conflito no Iêmen são "catastróficas"

Ban pede que pausa humanitária não seja usada para transportar armas no Iémen

Unicef: "prioridade é levar crianças de volta à escola no Iêmen"