FAO: comércio inter-regional pode ajudar América Latina e Caribe
BR

22 julho 2015

Estudo feito pela agência da ONU e pela Aladi destaca potencial da região para suprir demanda de alimentos interna; mais da metade dos países da área importa comida.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, e a Associação Latinoamericana de Integração, Aladi, afirmaram que o comércio inter-regional pode ajudar a América Latina e o Caribe a acabar com a fome.

Segundo relatório das duas organizações, a região tem potencial para satisfazer a demanda por alimentos através de negócios entre países.

Fome

O documento mostra que mais da metade das nações latinoamericanas e do Caribe importa alimentos, mas a região tem condições de se auto abastecer e acelerar a luta contra a fome.

Os especialistas dizem que para que isso aconteça será necessário também cooperação.

O relatório afirma que apesar da área produzir muito mais alimentos do que seus habitantes necessitam, atualmente, a região importa boa parte do alimento consumido de outras partes do mundo.

Fragilidade

A FAO explicou que essa situação deixa muitos países num estado de fragilidade frente à alta dos preços internacionais dos alimentos e dependem em maior ou menor grau, das importações para atender à sua população.

A agência diz que esse ambiente pode mudar se os governos decidirem potencializar o comércio de comida.

O relatório mostra que 18 dos 33 países da América Latina e do Caribe importam mais alimentos do que exportam. Isso inclui todas as nações caribenhas e até mesmo o México.

A maioria das importações de alimentos feitas pela América Latina, 57%, vem de áreas fora da região, com os Estados Unidos liderando os negócios.

A Argentina lidera o comércio inter-regional de alimentos seguida pelo Brasil e pelo Chile. Paraguai, Uruguai, Equador, Guatemala e Colômbia também registraram um bom comércio regional.

O principal comprador de produtos agroalimentares é o Brasil seguido do Chile e da Venezuela.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud