Conacri será a capital Mundial do Livro em 2017

22 julho 2015

Decisão foi tomada por um comité de especialistas reunidos na sede da Unesco em Paris; capital da Guiné-Conacri foi reconhecidade por projetos a envolver a comunidade e por forte ênfase nos jovens e na alfabetização.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A cidade de Conacri foi nomeada a Capital Mundial do Livro para o ano de 2017. A decisão foi tomada por um comité de especialistas internacionais reunidos na sede da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, em Paris.

Segundo o organismo, a capital da Guiné-Conacri enviou um programa com muita “qualidade e diversidade, com foco especial no envolvimento das comunidades”.

Metas

Ao apresentar a candidatura para ser Capital Mundial do Livro, Conacri também enviou um orçamento estruturado e “metas claras, com forte ênfase nos jovens e na alfabetização”.

A diretora-geral da Unesco apoiou a escolha do comité e destacou que “livros, leitura e aprendizagem são as chaves para a vida humana”. Irina Bokova notou o “forte investimento da Guiné-Conacri em promover os livros e a alfabetização”.

Desenvolvimento

Para Bokova, o país “tem uma visão clara da cultura e da educação como motores do desenvolvimento e da recuperação”, esforços apoiados pela Unesco.

Eventos

Com a decisão, a partir de 23 de abril de 2017, quando for celebrado o Dia Mundial do Livro, Conacri vai acolher durante um ano vários eventos para promover os livros e a leitura, com a participação de editores e escritores.

Este ano, a Capital Mundial do Livro é Incheon, na Coreia do Sul, e para 2016, a cidade escolhida foi Wroclaw, na Polónia.

Anualmente, a Capital Mundial do Livro é selecionada por organizações internacionais que representam vários sectores da indústria literária: Associação Internacional das Editoras; Federação Internacional dos Livreiros e Federação Internacional das Associações de Bibliotecas.

*Apresentação: Eleutério Guevane.